sábado, 17 de março de 2012

Poesia e canção

A Poesia e a Canção podem ser consideradas irmãs. (Talvez sejam filhas da música). Ao longo do tempo temos lido/ouvido as duas em diferentes graus de aproximação. Às vezes, comportam-se como siamesas, como no caso de indiscutíveis manifestações poéticas nas letras de músicas brasileiras. Os laços de irmandade também são reforçados por vozes que cantam poemas. A prática de cantar poemas que foram feitos anteriormente na modalidade escrita - e configuram-se diferentemente das letras de música - é recorrente no cancioneiro brasileiro.
A partir de hoje - e sem uma sistemática subsequente definida - postarei aqui poemas cantados por diferentes cancionistas brasileiros. Inicio com "Segue o teu destino", de Ricardo Reis, publicado inicialmente no primeiro quartel do século XX, e atualizado na voz de Renato Braz - cd Outro Quilombo. A composição musical é de Sueli Costa.
Segue o teu destino
Segue o teu destino
Rega as tuas plantas
Ama as tuas rosas
O resto é sombra
De árvores alheias

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos
Só nós somos sempre
Iguais a nós próprios.

Suave é viver só
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente
Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses

Vê de longe a vida
Nunca a interrogues
A resposta está além dos deuses.

Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração
Os deuses são deuses
Porque não se pensam

video

    6 comentários:

    1. Linda abertura.

      "Segue o teu destino", de Ricardo Reis, na voz de Renato Braz, é um dos mais belos exemplos que existem em língua portuguesa de poemas escritos transformados em canção.

      Fernando Pessoa teria gostado de ouvi-la - e também, estou certo, teria interesse em acompanhar teus escritos.

      Beijo. F.

      ResponderExcluir
    2. Estou certa de que ele gostaria de ouvi-la. Quanto a ler meus escritos, já está de bom tamanho a tua leitura e a de mais uns poucos amigos!
      Beijo.
      Obrigada Cassionei!
      Um abraço!

      ResponderExcluir
    3. Lindo texto, Aninha! Eu queria muito que o Fabiano lesse o meu post sobre o "Shame", mas acho que ele não tem mais tempo para mim.
      Fui a Sampa e tive bons programas culturais. É sempre uma paulada, de estética e reações sensoriais ir a uma cidade daquele porte!
      Vamos combinar algo! Quero pegar os CDs e DVDs.

      Abração!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Belíssimo ! Interessante como a voz lembra a do Milton Nascimento quando jovem. :p

        Excluir
    4. Rô, não esqueci de você, não. Li o seu texto e gostei. Não comentei porque quero assistir antes, sabe lá Zeus quando.

      Josué, meu lendário ex-conterrâneo, estamos de acordo! Eu e a Aninha havíamos comentado justamente o quanto o canto do Renato se aproxima do (jovem) Milton. E isso é raro e admirável.

      Abração.

      ResponderExcluir